Madames Améliaaas!!! Socorrooo!  Mais alguém se sente atropelada por 2017? O tempo voou e nem vi o ano passar. Não vivi plenamente, não fiz tudo o que eu queria… e eis que já estamos em 2018. Mais precisamente, final do mês de janeiro.

Os dias estão encurtando? Será que preciso dormir menos? Ou estou trabalhando demais e vivendo de menos?

Não sei vocês, mas fiz tantos planejamentos legais pra 2017. Não só para o meu trabalho com o blog e as redes sociais Madame Amélia, mas para a vida, sabe?

Viajar mais… ler mais… desfrutar mais… fazer coisas simples… e a impressão que tenho é de que fiz tudo de menos, apesar de ter feito tantaaa coisa em todas as áreas, sinto que não deu tempo de tudo!

O blog mesmo… abandonado, tadinho! Nem o planejamento de postagens de Natal e Ano Novo aqui para o blog eu consegui fazer. Dicas e conteúdos tão legais para inspirar e animar vocês, que não saíram do papel. (sorry!)

Sem contar as demais áreas da minha vida… por mais que eu tenha vivido, procurado aproveitar e estar presente por inteiro em tudo e para todos: não teu tempo de quase nada!

Vocês se sentem assim? Olham para trás e notam que o tempo voou, que o ano foi curto, que 24 horas parecem passar rápido demais???

Sei que é normal estabelecermos metas, fazer planos… e não conseguir realizar tudo. Mas, pensem no tempo, minhas queridas! É o tempo que está passando. Como areia seca na mão fechada, que escapa pelos dedos ainda que a gente segure firme.

Uma música antiga do Lenine, chamada Paciência, diz assim:

.

“Enquanto o tempo

Acelera e pede pressa

Eu me recuso, faço hora

Vou na valsa

A vida é tão rara..”

.

A música toda tem uma letra interessante, que faz a gente pensar sobre o passar do tempo e sobre como desfrutamos dele… mas a frase que ecoa na minha cabeça é apenas “a vida é tão rara”!

Milhares de pessoas não sobreviveram a 2017. Não viram 2018 chegar. Se a vida é tão rara, se não sabemos quando será nosso último dia de vida, se não podemos controlar o tempo e nem o mundo ao nosso redor… porque é que agimos como se viver fosse algo banal?

Comemos, dormimos, trabalhamos, gastamos, endividamos, viajamos, compramos… vivemos no modo automático e o tempo escapa como areia seca em nossas mãos.

Meu Deus! Fico a pensar no que o Senhor pensa a respeito! Fico a imaginar o quanto Deus se entristece por ver a maneira que desfrutamos um dos presentes mais especiais que Ele nos deu: a vida!!!!

O Rei Salomão, como toda a sua riqueza e gloriosa vida de rei, também se questionou sobre o tempo! No livro de Eclesiastes, capítulo 3, na Bíblia, o Rei Salomão, já idoso, escreveu:

.

“Para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu:
tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou,
tempo de matar e tempo de curar, tempo de derrubar e tempo de construir,
tempo de chorar e tempo de rir, tempo de prantear e tempo de dançar,
tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las, tempo de abraçar e tempo de se conter,
tempo de procurar e tempo de desistir, tempo de guardar e tempo de lançar fora,
tempo de rasgar e tempo de costurar, tempo de calar e tempo de falar,
tempo de amar e tempo de odiar, tempo de lutar e tempo de viver em paz.”
Eclesiastes 3:1-8

.

Há tempo para tudo nessa vida! A plenitude de vida, o trabalho e o desfrute dele, dias bons e ruins, luto e festas… amor, dor, perdão… Deus planejou tudo isso e muito mais para nós! Então, porque é que vivemos com tanta pressa? Ou será só eu que vive apressada?

Porque é que o tempo passa tão rápido e a gente insiste em usar isso como desculpa para não dar atenção às coisas mais importantes da vida? Ou para não cumprirmos todas as nossas obrigações?

Estamos sempre enrolando. Desperdiçando. Correndo, mas procrastinando. Sim, tudo junto! Ao mesmo tempo! Vivemos na correria, mas procrastinamos em coisas importantes.

Me sinto triste. Envergonhada. Vergonha de Deus. De mim mesma. Vergonha das pessoas ao meu redor. Vergonha por viver pela metade, correr tanto atrás de dinheiro para conquistar coisas legais mas que talvez eu viva bem sem. Vergonha por negligenciar pessoas, negligenciar a mim mesma… vendo o tempo escapar por entre meus dedos. Areia. Seca!

Acho que esse é o post mais sincero de todos que já escrevi até hoje. Talvez não esteja coeso. Mas é melhor nem voltar à primeira linha para revisar, pois hoje, pelo menos hoje, dia 24/01, eu não quero perder tempo.

Tenho muito trabalho, amelices a fazer, contas a pagar… mas também tenho que beijar mais o meu marido, abraçar mais o meu cachorro, ligar para os meus pais e avós, ter um longo papo com a minha irmã, um aniversário para ir, uma pessoa em luto para consolar, uma vida para viver.

Ao menos hoje, quero tentar e conseguir. Não quero deixar pra amanhã. Hoje não vou perder tempo, nem vacilar. Afinal, a vida é tão rara… e amanhã pode se tarde demais!

E se o amanhã houver, que Deus traga à minha memória o sentimento e a força de agora, para tomar a mesma decisão: não perder tempo, nem vacilar.

.

Com amor e um coração em prantos,

Katy Gutterres!