Olá, Madames Amélias!!!

Estamos no mês de outubro e este mês é totalmente voltado para a saúde feminina e a prevenção do cancêr, em especial o de mama. Acredito que nós mulheres devemos estar atentas a nossa saúde o tempo todo, pois somos sem sombra de dúvidas a peça fundamental do nosso lar!
 .
Pensando nisso, escolhi um assunto bem interessante para hoje, que embora muitas de vocês não saibam, tem muito a ver com a alimentação: CANDIDÍASE, uma infecção causada pelo fungo Candida ou Monília.
  .
A Candidíase pode se manifestar em vários locais: vagina, pênis, intestino, boca, mamilos (períodos de lactação)… e, infelizmente, usar pomada vaginal e tomar Fluconazol nem sempre resolve o problema, pois além de tratar os sintomas, é preciso tratar a CAUSA, que está relacionada à alimentação! Aliás, em casos de Candidíase de repetição, o tratamento se dá com a mudança alimentar.
 .
Essa relação entre a Candidíase e a alimentação está no crescimento fúngico. Inclusive, a falta de energia ou a vontade exacerbada de doces também está relacionada ao crescimento fúngico,  pois açúcares e carboidratos são alimentos para os fungos.
 .
Afinal, o que os fungos tem a ver com o nosso metabolismo?
 .
O nosso organismo possui um complexo sistema que mantém o equilíbrio entre as bactérias boas e as ruins, as comensais e os fungos. No entanto, pode acontecer a DISBIOSE, um desequilíbrio na microbiota intestinal que irá favorecer o crescimento fúngico, em que microorganismos até então de pouca virulência, tornam-se agressores.
 .
Com o consumo regular de açúcar refinado, leite e derivados, carboidratos refinados, chocolates, bolos, biscoitos, refrigerantes, pão branco, álcool, embutidos, cafeína e produtos industrializados em geral tem-se o CRESCIMENTO FÚNGICO, que faz aparecer a Candidíase.
 .
O consumo regular de alimentos com alto poder alergênico, ou seja, alimentos que possuem proteínas de difícil digestão, também promove a  DISBIOSE, pois esses alimentos são matérias primas para a fermentação de bactérias patogênicas, favorecendo o crescimento fúngico.
 .
Já os fungos presentes naturalmente em nosso organismo, não representam problema para a nossa saúde. O problema aparece quando há um crescimento acima do esperado, devido a fatores que desequilibraram a microbiota intestinal: antibióticos, antiácidos, laxantes, má alimentação, stress, hipocloridria…
 .
Na avaliação (rastreamento metabólico) as queixas e os sintomas mais comuns relacionados ao crescimento fúngico, são: flatulência, distensão abdominal, irregularidade intestinal, aftas, língua branca enxaqueca, fadiga exagerada, ansiedade, alterações de humor, apetite exagerado por doces e carboidratos, cistite e, claro, a Candidíase de repetição.
 .
E, então, como tratar?
O tratamento para Candidíase, além do medicamentoso, passa pela mudança alimentar e, nesse caso, para cada pessoa é necessária uma adequação alimentar diferente, então, procure um nutricionista de sua confiança!
.
Com carinho, Nutri!
Vida Saudável - Nutricionista Letícia Sócio - Vida saudável - Blog Madame Amélia