Olá, Madames Amélias! O post de hoje é sobre o último destino do nosso Diário de Férias pela Bahia! Foram 7 dias de viagem divididos entre Salvador, Morro de São Paulo, Península de Maraú e Itacaré. (confira tudo aqui)

.

Itacaré

Com pouco mais de 28 mil habitantes, Itacaré é famosa pela beleza de suas praias, algumas praticamente desertas, rodeadas por Mata Atlântica; cachoeiras; trilhas e paisagens de cartão postal!

Itacaré – que no tupi significa “jacaré de pedra”, também é o principal ponto de surf da Bahia, por causa das ondas incríveis de algumas de suas praias, que são frequentadas por surfistas do mundo inteiro!

Aliás, foi por causa das ondas de Itacaré que essa viagem surgiu, pois nossos amigos Daniel e Bárbara queriam surfar lá… daí eles nos chamaram para viajar com eles, compramos as passagens e fizemos o roteiro descendo à partir de Salvador (veja tudo aqui!).

Foram quase 3 dias incríveis de solzão, banho de mar e aventura… #aperteoplay

.

.

COMO CHEGAR:

Vindo de Ilhéus…

O acesso mais fácil é pelo aeroporto de Ilhéus, que recebe vôos diretos de São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e Salvador. Partindo de Ilhéus, você pode ir…

–  De carro: alugue um carro já no aeroporto (à partir de R$ 80* diária). São 75 km do aeroporto de Ilhéus a Itacaré, cerca de 1 hora e meia de estrada.

– De táxi: pelo que andei pesquisando, o traslado aeroporto Ilhéus-Itacaré custa R$ 220*. Acho caro! Prefiro alugar um carro, que ainda lhe dá mobilidade para explorar a região. Mas se você encontrar alguns passageiros para dividir o táxi, até compensa!

– De ônibus: do terminal de rodoviário de Ilhéus saem 3 a 4 ônibus por dia para Itacaré (R$ 13*) e o trajeto dura cerca de 2 horas.

.

Saindo de Salvador…

– Ferry-boat  + ônibus: vá de ferry-boat até Bom Despacho (R$ 5* – durante a semana e R$ 6,70* – feriados e finais de semana), chegando lá pegue um ônibus para Itacaré (R$48*). São 5 horários de saída por dia e a viagem dura em média 5 horas.

– Ferry-boat + carro: vá de ferry-boat até Bom Despacho e alugue um carro pequeno custa (à partir de R$ 60* diária). Itacaré fica há 240 km, cerca de 3 horas e meia de estrada.

.

COMO NÓS FOMOS…

Quando falei sobre Península de Maraú (aqui!) que alugamos um carro em Valença… Pois é! Ficamos com ele até o fim da viagem, portanto, fomos para Itacaré de carro alugado e foi ótimo!

No dia do voo em Salvador, devolvemos o carro na locadora em Valença e seguimos no esquema que citei sobre Morro de SP (aqui): carro com o Sr. Reginaldo (R$ 35*) até o terminal marítimo de Mar Grande, na Ilha de Itaparica + barco coletivo (transporte público) R$ 5* até Salvador + Uber (R$ 40*) até o aeroporto.

.

ONDE FICAR:

Nos destinos anteriores, ficamos todos no mesmo local. Em Itacaré, cada um foi para um canto! Mas, calma, gente! Nós não brigamos, não… rs.

É que nossos amigos Bárbara e Daniel, 10 anos mais jovens que nós, quiseram ficar num hostel. Kadu e eu, mais enferrujados e enjoados, preferimos uma pousada aconchegante!

E o que vocês ganham com isso? Duaaas indicações bacanas de hospedagem!

Nossos amigos ficaram no Chê Lagarto (à partir de R$ 45* diária/pessoa), um hostel supeeer arrumadinho, com opção de suítes individuais. Quarto limpo, cama enorme e super confortável, banheiro espaçoso.

Eles disseram que o café da manhã é bem gostoso, o atendimento é ótimo e que o hostel é organizado! Resumindo: nada a ver com a minha concepção de hostel. No dia de irmos embora, fui conhecer e me arrependi de não ter ficado lá (teríamos economizado um cadinho… kkk).

Outra característica bacana do Chê Lagarto é a localização: na Rua Pedro Longo, em Pituba, coração de Itacaré, há 8 minutos – de caminhada – da praia, cercado de lojas, restaurantes, bares e comércio local.

Já Kadu e eu ficamos na Pousada Sage Point, na Praia da Tiririca! Pousada antiga e rústica, mas bem charmosa. As suítes possuem tamanhos, vistas e decoração diferentes.

Ficamos na suíte Golfinho! Ampla, confortável, varanda privativa e com vista para o mar. Até do banheiro a gente vê o mar. Fazer nº 2 com vista para o mar?! Nada mal! Hahaha

Café da manhã delicioso, bem variado e com vista para o mar! A pousada também oferece, gratuitamente, o empréstimo de cadeiras e redes na praia, raquetes, bolas e pranchas de bodyboard.

A diária, pelo Booking, nos custou R$ 300*, mas Itacaré tem opções equivalentes ou melhores pelo mesmo valor! Basta pesquisar e reservar com antecedência. Pois embora tenha gostado da pousada de modo geral, existem pontos negativos a serem ditos…

O beco de acesso é horrível. Cheio de pedregulhos, um terror para descer a pé com malas. Só quando chegamos na pousada vimos que há estacionamento e que era possível chegar de carro.

Outro ponto negativo é o cheiro de comida que vinha para o nosso quarto, que fica em cima da cozinha/restaurante. Apesar das janelas fechadas o cheiro penetrava, talvez por alguma fresta na estrutura de madeira.

Apesar desses detalhes, é uma ótima pousada. Ainda mais se você gosta de surfar, pois a Praia da Tiririca é o point do surf! Campeonatos importantes rolam nessa praia, todos anos.

CONFIRA! Todas as opções de hospedagem em Itacaré aqui!

.

ONDE COMER:

Quem viu os posts anteriores, já sabe: somos turistas que comem tudo o que tem direito no café da manhã e almoçam tarde. Ou só petiscam.

No primeiro dia, nos deliciamos com uma maravilhosa foccacia de massa artesanal e recheios diferencidos; temaki de vários sabores; pão de queijo mineiro recheado…

Todos os lugares ficam na charmosa Passarela da Vila, rua repleta de restaurantes, bares e lojinhas; mas só lembro o nome da pão de queijaria, que se chama Di Minas para a Bahia, onde comemos pão de queijo recheado com pernil assado e com goiabada + queijo da canastra.

Como o lugar é novo, não achei referência em sites de avaliação e redes sociais, mas vá por mim: vale a visita! É de um casal de BH, que largou tudo para viver o sonho de morar no litoral! Uma fonoaudióloga e um designer gráfico.

No dia seguinte, fomos passar o dia na Prainha. Chegando lá, descobrimos que não tem restaurante, barraca, nadaaa pra comer… só um tiozinho vendendo bebidas.

Graças a Deus, apareceu um jovem casal vendendo sanduíche natural e suco (outro casal que deixou tudo na cidade natal pra morar em Itacaré). Estava uma delícia! Sorte de quem os encontrar na Prainha novamente! rs

Voltando da Prainha, fomos lanchar no Coffee Cool Waffle, onde tem um famoso e premiado waflle, cafés, crepes e outras delícias. O atendimento é meia boca, mas a comida vale a pena! (R$ 20* média)

À noite, íamos jantar num lugar bacana, mas capotamos após o banho e acordamos de madrugada. Então não tenho um restaurante chiquezinho para indicar, mas a Ana @maecasei super indica o Jiló Restaurante.

O terceiro dia, foi de despedida… café da manhã na pousada, admirando o mar! Vontade de ficar pra almoçar, mas a estrada nos esperava! rsrs

CONFIRA! Todos os restaurantes & cia. de Itacaré aqui!

.

O QUE FAZER:

O que não falta em Itacaré são praias lindas para conhecer e passeios para fazer!

Em nossa curta estadia, conhecemos a Praia da Tiriricapoint surf, Praia do Resende – estava lotada, e Praia da Ribeira – tem muitas barracas e um riacho. São praias pequenas e vizinhas uma da outra.

Agora, se tem uma praia maravilhosaaaa em Itacaré é a Prainha, onde passamos um dia inteiro! Saindo da Ribeira, são 40 minutos de trilha mata adentro. O trajeto cansa um pouquinho, mas vale a pena!

Recomendam fazer a trilha com guia (na praia da Ribeira tem vários), mas o Daniel se informou sobre o caminho e arriscamos ir sem guia. O trajeto, na maior parte do tempo, é óbvio; mas existem algumas bifurcações na trilha. Caso decida ir sem guia, informe-se beeem antes!

Outra praia famosa, de acesso por trilha após 30 minutos de caminhada, é a Jeribucaçu. Queríamos ter ido, mas não deu tempo! Dizem que é belíssima! E, diferentemente da Prainha, a Jeribucaçu tem barracas que servem refeições e petiscos.

Sobre passeios, um bem famosinho é o 4 Praias, que visita as praias Engenhoca, Havaizinho, Camboinha e Itacarezinho. É o dia todo, com almoço cobrado à parte. Custa em média R$ 50*. Creio que vale a pena, as praias são lindas! (vi no Google, rs)

Além desse, muitos outros passeios são ofertados por agências e guias locais: praias urbanas, praias rurais, bate e volta na Península de Maraú, Baía de Camamu na escuna, passeio de canoa passando pelo mangue e cachoeira do Creando… enfim, com tempo e dindin, há muito o que desfrutar em Itacaré!

Quanto aos valores, oscilam entre R$ 50* e R$ 200*, depende do passeio, da exclusividade do transporte, etc… no entanto, ainda prefiro alugar um carro e explorar a região livremente.

À noite, recomendo bater perna pela Passarela da Vila e demais ruas movimentadas de Pituba (que é um bairro, mas também dá nome a uma rua ) onde ficam as lojinhas de artesanatos, bares, restaurantes, feirinhas e tudo mais!

CONHEÇA! Todas as praias de Itacaré aqui!

.

ALERTA – ASSALTOS!

Após a viagem, li na internet alguns relatos de turistas que foram assaltados, à mão armada, nas trilhas da Prainha e Jeribucaçu. Relatos com data de 2010, 2012, 2013… Achei relatos de assalto também na Praia da Tiririca, onde ficamos hospedados.

Fomos para a Prainha sem ter ideia do risco de assaltos com frequência. Acho que se tivéssemos lido antes, não teríamos ido. Ou teríamos nos informado com os moradores sobre a atual situação.

Prainha é paradisíaca e no vlog super recomendei ir pra lá, todavia, não quero ser responsável por estragar a viagem de ninguém. Por outro lado, no Brasil, nem a casa da gente é garantia de segurança, né?!

Enfim… deixo a escolha para vocês. Caso escolham ir, façam o passeio sem objetos de valor. Deixem o celular e a câmera no hotel. Guardem as lembranças na memória!

Penso que de 2013 pra cá, alguma providência tenha sido tomada. De qualquer forma, fica o alerta: todo cuidado é pouco. E em qualquer viagem. Turistas são presas fáceis! Precisamos ficar atentos!!!

.

Conhece Itacaré também? Me conte o que achou e deixe suas dicas nos comentários!

.

Beijão sabor saudade da Bahia!

*Valores em março/abril 2017.