Oi, Madames Amélias lindas!!!
O que vocês mais gostam de fazer na estação mais quente do ano?

Ah, o verão…
Sol, mar, piscina, rio, cachoeira, banho de mangueira, sorvete, picolé, tereré, água de côco, chupar gelo… e muuuuito protetor solar!!! Com a pele não se brincaaa!!! Eu brinquei e me dei mal.

Até 2011, minha pele era limpinha! Zero pintinhas e manchas (exceto a de nascença, no lado direito do rosto, rs). Em janeiro de 2011, fui pra praia e dei uma bobiada no uso do protetor solar logo no primeiro dia. Resultado: 3 dias de molho no quarto enquanto todos iam curtir a praia, febre, dor, queimadura de 2º grau, bolhas… e a cereja do bolo foram as manchas sardas e pintas no rosto, colo e barriga que surgiram semanas depois.

De lá pra cá, pra piorar, mudei pro Tocantins em 2013 e por algumas vezes saí de casa sem a devida proteção, isso acabou piorando o aspecto da minha pele e agora estou tentando recuperá-la com muito protetor solar, tratamentos dermatológicos e produtos que meu dermatologista recomendou!

Usar protetor solar diariamente, pra mim pelo menos, é um saco! Ainda mais no calor que faz aqui onde moro! Minha pele derrete – mesmo que o bendito seja oil free – mas já que é necessário, bora caprichar e usar o melhor possível, com FPS mais alto que tiver na farmácia, afinal, quanto maior o FPS do protetor solar, mais protegida eu estou, certo?

ERRADO!!!

Além da qualidade do produto, não é apenas o FPS que devemos considerar na escolha de um bom protetor solar, não! Devemos nos atentar ao PPD também!

PPD???!!!

Confesso que descobri o tal PPD essa semana, papeando com a Natália, a fisio linda que está cuidando das minhas celulites, rs. Ela me mostrou um artigo no site da La Roche Posay, que explica direitinho o que é e a importância do FPS e do PPD no protetor solar.

Li, entendi e aprendi! Então pensei “precisooo contar isso pras Madames Amélias do Brasil e do mundooo!!! rs

Pensando nisso, trouxe abaixo a transcrição de alguns trechos do artigo pra vocês aprenderem também e ficarem atentas quando forem comprar protetor solar, que deve ser usado não apenas no verão, mas o ano inteiro!

Segue:

“A pele está permanentemente exposta a fatores ambientais, no que se incluem substâncias químicas e agentes físicos tais como a radiação UV, que provoca fotoenvelhecimento e danos ao DNA. Por muito tempo considerou-se que a maioria das lesões causadas pelo Sol era proveniente dos raios UVB. No entanto, foi comprovado que os raios UVA desempenham um papel determinante em diferentes fotopatologias, tais como o fotoenvelhecimento, danos ao DNA, câncer de pele (incluindo melanoma), reações do sistema imunológico cutâneo e produção excessiva de radicais livres.

A proporção de raios UVA emitidos pelo Sol que atinge a superfície da Terra é vinte vezes maior do que a dos raios UVB. Além disso, ao contrário dos raios UVB, os raios UVA não são atenuados pela camada de ozônio que circunda o planeta. Eles atravessam nuvens e vidros e são emitidos de forma constante ao longo de todo o dia, do nascente ao poente. Finalmente, enquanto 90% da radiação UVB é bloqueada pela primeira camada da pele (epiderme), mais de 50% dos raios UVA recebidos são capazes de penetrá-la profundamente, chegando até a derme.UVB (Burning = Queimadura)
•    Causam as queimaduras solares.
•    Exposições repetidas aos UVB podem causar câncer de pele.
•    São mais intensos no verão e no período entre as 10h e 16h.

UVA (Ageing = Envelhecimento)
•    Aceleram o envelhecimento, pois penetram profundamente na pele, degradando as fibras de sustentação.
•    Podem desencadear processos alérgicos, manchas de gravidez e, em casos específicos, herpes labial, pois reduzem a imunidade.
•    São intensos ao longo de todo o dia e durante o ano inteiro, inclusive em dias nublados.”

Como saber se um protetor solar protege de forma equilibrada contra os raios UVA e UVB?

A Colipa (Comitê de Ligação das Associações Européias da Indústria de Perfumaria e Cosméticos) publicou em 2006 uma recomendação relativa aos protetores solares, que tem como principal objetivo proteger melhor os consumidores contra os raios UVA.

A Colipa formaliza neste texto, a necessidade de proteger-se contra os danos provocados pelos  raios UVA, estabelecendo uma relação ideal entre as variáveis que medem o nível de proteção contra os raios UVB e UVA.

FPS: Fator de Proteção Solar contra as queimaduras de Sol principalmente causadas pelos raios UVB.
PPD (Persistent Pigment Darkening): Fator de proteção contra os raios UVA.

A Colipa recomenda que a proteção UVA corresponda a, no mínimo, um terço da proteção UVB. Seguindo esta recomendação, se o FPS for igual a 30 (FPS=30), a proteção UVA deverá ser, no mínimo, 10 (PPD=10).

Esta conformidade pode ser identificada nas embalagens de protetores solares por meio do símbolo UVA.”

E aí, você já sabiam dessas informações? Qual protetor solar vocês usam?
Me contem! Deixem um pitaco!
Beijão da Katy!
Katy Madame Amélia