Uhuuuul!!!! Feriadooo!!!! Não tem aula, não tem expediente… um dia inteirinho, no meio da semana, pra curtir e relaxar! Quem é que não gosta de um feriadinho, né? Ainda mais se emendar com o final de semana!!!!! Mas, é claro, existem profissionais que trabalham mesmo no feriado. Profissionais da saúde, transporte, comunicação e tantas outras áreas revezam com os demais colegas escalas nos feriados e finais de semana, recebendo a mais por isso.

Tá, e as donas de casa? Aquelas que trabalham em tempo integral cuidando do lar? E as que trabalham fora e no tempo livre cuidam do lar? Sem contar as que além de cuidarem do lar, ainda cuidam dos filhos. Como são os feriados, finais de semana e demais dias dessas mulheres?! O que elas recebem pelo trabalho delas?

Constantemente sou procurada por mulheres de todas as idades e classes sociais, que estão cansadas de serem donas de casa, seja em tempo integral ou parcial. O cansaço delas não vem especificamente do lavar, passar, cozinhar, organizar e tantas outras mil tarefas que fazem diariamente…

Infelizmente, o cansaço é emocional e mental. Mulheres exaustas. Mulheres com baixa estima. Mulheres feridas e aborrecidas. Vez ou outra, aparece alguma brava também. O que todas elas tem em comum é o fato de não serem valorizadas pelo que fazem, simplesmente por serem donas de casa.

As que trabalham fora, gostariam de contar com a colaboração e valorização do marido e/ou filhos, afinal, além de trabalharem 8 horas por dia num trabalho secular, ralam após o expediente para que a casa fique habitável, aconchegante e limpa. As que não trabalham fora, também esperam colaboração e valorização do marido e/ou filhos, pois elas deram duro o dia inteiro para que eles chegassem ao final do dia e encontrassem a casa em ordem, com cheiro e cara de lar.

Infelizmente, há muita gente (especialmente maridos e filhos) que não valorizam o trabalho da esposa/mãe que é dona de casa. Acham que, por nem sempre verem diferença “no ambiente de trabalho”, a esposa/mãe não fez nada útil o dia inteiro. Pois as vezes a diferença do nosso trabalho não é notada. Esvaziar um armário, limpá-lo por dentro e por fora, guardar todas as coisas novamente… quem chega e vê o armário no lugar de sempre, não percebe o trabalhão que deu faxiná-lo!

Limpar, organizar, lavar, passar, abastecer a dispensa, cozinhar… ainda que prazerosas para quem as faz de coração, são tarefas árduas e infinitas! Não é um relatório que você zera, nem uma obra que entrega, tampouco um processo que fora arquivado. Zelar e administrar uma casa é trabalho diário, repetitivo, normalmente solitário, com horas extras de domingo a domingo…

Isso sem contar o adicional materno! Donas de casa com filhos, além das atividades inerentes ao lar, são motoristas, secretárias, designers de moda, psicólogas, enfermeiras… uau, cansei só de imaginar! Aliás, apesar de ter muita vontade de ser mãe, as vezes páro pra pensar e fico medo de não dar conta, porque se tem um ser que rala e tem preocupações na vida, esse ser é a mãe. O pai também tem, mas mãe é mãe, gente! É diferente!

Fato é que todo santo dia temos algo a fazer!!! E fazemos. Ainda que não percebam, nós ralamos e muito! Então, maridos, filhos e sociedade, por gentileza, parem de falar que as donas de casa não fazem nada o dia inteiro! Parem com perguntas idiotas do tipo “você não trabalha, tá cansada de quê?!”. Parem de achar que por sermos donas de casa não lemos bons livros, não apreciamos arte, não nos vestimos bem e não sabemos nada de política ou o escambau!!!

Eu, por exemplo, sou dona de casa. Sempre ajudei minha mãe com os afazeres do lar e desde que me casei cuido pessoalmente de cada detalhe da minha casa! Sou bacharel em Direito há um bom tempo e ainda não decidi se vou retomar os estudos pra OAB, se vou fazer outro curso ou se vou continuar em tempo integral como dona de casa… mas, me conhecendo como me conheço, jamais deixarei de cuidar da minha casa. No máximo teria uma diarista 1x na semana!

Sou Amélia, assumida. Mas sou Madame também! Gosto de malhar, sair com as amigas, ter tempo para ler, ver bons filmes, me inteirar do que acontece no mundo, comprar roupas e sapatos, relaxar numa praia, dormir até tarde… como toda Madame, oras bolas!!!!

Os filmes, as novelas e o meio em que vivemos nos fez acreditar que Amélia é Amélia e Madame é Madame. A Amélia é desleixada consigo, fede a produtos de limpeza e cuida da casa e dos filhos, enquanto a Madame diva, cheirosa e bem vestida está na cama com o marido da Amélia… Que coisa absurda!!!!

Se você conhece um dona de casa, seja ela sua mãe, esposa, sogra, prima, amiga… enfim, seja ela quem for, valorize-a! Elogie seu trabalho, escute o que ela tem a dizer, não faça cara de deboche quando ela disser que está cansada, trate-a com a mesma admiração e respeito que você trataria uma delegada, uma atriz famosa, uma empresária de sucesso! São trabalhos diferentes, mas todos dignos. São trabalhos diferentes, mas o salário da dona de casa é o valor que dão a ela!

Procuro animar, confortar e encorajar todas as mulheres que me procuram, mas sei que enquanto a postura de quem mora com elas não mudar, elas continuarão voltando a mim ou a qualquer outra mulher em que confiam com os corações machucados e desanimados! Se você conhece uma dona de casa, compartilhe esse post com ela… se você é dona de casa, compartilhe esse post com sua família e seus amigos!

E pra finalizar, quero que VOCÊ, dona de casa, Amélinha, mulher dedicada ao lar saiba que:

Você é preciosa!!!

Você é importante!!!

Seu trabalho é imprescindível!!!

Se você cuida da casa, da família e de si mesma, você é uma vencedora!!!

Que Deus abençoe e fortaleça sua vida, seu corpo, suas emoções e sua mente!!!!

Beijão da Katy!

Blog Madame Amélia _ Katiúscia Farias Gutterres