Olá Madames, Amélias e Mamães, tudo bem???

Que saudade do nosso cantinho! Estou de volta e hoje vou compartilhar com vocês minha rotina como mãe de dois…

A maioria das mulheres quando engravidam pela segunda vez, ficam com receio de não amar tanto o segundo filho, como amam o primeiro… Confesso que esse medo nunca passou pela minha cabeça. O que tirou meu sono foi imaginar como cuidar de um RN (recém nascido) e do Pedro (2 anos e 6 meses), sem deixá-lo com ciúmes ou sentimento de perda.

Durante a gravidez não pedia para ele interagir com a barriga. Ele sabia que tinha um bebê crescendo ali. Participou de todas as consultas e ultrassons. Amava ouvir o coração dela. Um belo dia ele falou: Mamãe, como sua barriga está grande! Disse para ele que Júlia havia crescido e logo iria nascer.  Claro que ele interagiu com ela, mas nada forçado, ele me observava acariciando e falando com a barriga e fazia o mesmo.

Ele amava pular em cima de mim. Como a barriga foi crescendo não deu mais. Ele estava louco para ganhar um Mack (o caminhão do filme Carros) e falamos para ele que Júlia iria trazê-lo e ambos estavam na barriga. Por isso, não poderia mais pular… Funcionou! rs

Minha mãe sofreu um acidente e quebrou seu tornozelo. Então, sabia que não poderia contar com ela. Conversei com meu marido e ele programou tirar férias para o período. Também aumentamos os dias que nossa diarista vem em casa.

Júlia nos surpreendeu nascendo com 37 semanas e 2 dias. Minha irmã e Dinda da dela nos fez surpresa, aparecendo no hospital no outro dia de manhã. Na noite do nascimento, Pedro dormiu na casa do melhor amigo e nos demais dias dormiu com o papai em nossa casa.

Quando chegou para conhecê-la nem deu bola,  estava interessado e ficou encantado com seu Mack! Novamente não forçamos qualquer aproximação. Mamãe não podia pegá-lo porque fez dodói na barriga para Júlia e Mack saírem…

Júlia nunca foi usada como desculpa para ele. Por exemplo, ele queria que eu viesse embora do hospital. Meu marido explicava que o Dr. Bruno (velho conhecido das consultas) pediu para mamãe ficar. Íamos usar seu berço para ela. O convidamos para comprar uma cama nova para ele, que amou a novidade. Também mostrei muiiitas fotos dele bebê e dizia que Júlia seria como ele foi…

Papai fez e continua fazendo um belo trabalho.  Indagou a ele se não queria comprar um presente para Júlia, já que ela havia trazido o Mack. Sua resposta foi um sonoro SIIIM. Chegou no hospital todo feliz com o presente e quis pegá-la. Seus olhinhos brilharam e o amor nasceu… ele pegou, fez carinho, quis deitar ao seu lado… FOI LINDOOOO!!!

Nossos amigos também foram parceiros. Todos que nos visitaram na maternidade levaram lembrança para ambos. Em nenhum momento ele se sentiu preterido. Aliás, fico muitíssimo grata a todos pelo gesto duplo de amor!!!

Em casa, minha irmã me ajudava com os cuidados com Júlia. Dessa vez, tive (e ainda tenho) muita dor no pós operatório e sua ajuda foi preciosa. Eu praticamente só amamentava.

As férias do Pedro terminaram e ele passa o período da manhã na escola. Tomo o cuidado de não recebê-lo, ao chegar da escola, com a Júlia no colo. Recebo ele na porta e faço o mesmo ritual de sempre: pergunto como foi o dia, olho a agenda, abraço, etc.

Ele demonstrou interesse em mamar. Como uso concha de amamentação tirei um pouco e falei para ele colocar o dedinho e provar. Se gostasse, eu deixaria mamar no peito. Felizmente ele não gostou, rsrs!

A Dinda foi embora dia 12/08 e papai conseguiu organizar as férias. Agora estamos vivendo a “Lua de Leite” com eles. Papai colabora muito e dividimos todos os cuidados.

Pedro não demonstra ciúmes e/ou qualquer alteração de comportamento. Continuamos com a mesma rotina dele: escola, almoço, soneca, brincar, jantar, banho, sono da noite. Desci duas vezes com ele e também fui buscá-lo no ponto do ônibus (dentro do condomínio).

RN não tem muita rotina, amamento em livre demanda e só temos horário para o banho (às 20:00 hrs). Como todo RN, ela ainda dorme muito. Sei que logo isso irá mudar, papai voltará ao trabalho e ela ficará mais tempo acordada.

Pausa para o momento mãe babona: Pedro é muito querido. Com diálogo tudo se resolve. Minha irmã ficou encantada porque ele verbaliza tudo que quer (comer, beber, dormir, brincar). Se explicarmos que tal coisa não pode ser feita naquele momento ele responde: tá bom. Muito fofo!!! Choro só no caso de cansaço extremo. Ele chega da escola e procura por ela. Outro dia, estávamos só nós três em casa e levei Júlia para o quarto para ter um tempo sozinha com ele na sala, dali a pouco ele pediu: mamãe, cadê a Júlia? #muitoamor

Ela, por sua vez, é calma e mama muito menos que Pedro mamava. Só tivemos uma noite mais tumultuada devido a gases. Ela consegue ficar de 4 a 5 horas sem acordar para mamar, o que faz uma grande diferença no meu dia.

Meu puerpério está muito, muito mais ameno após a segunda gravidez. Acredito que isso se deve ao fato de já ter passado pela perda de identidade no primeiro parto e, principalmente, ter mais conhecimento, não criar expectativas e não idealizar a maternidade. Vivo um dia de cada vez!

Dessa vez, também prometi cuidar de mim! Consigo deixar Júlia em casa e ir fazer a unha, por exemplo. Na gravidez de Pedro fiquei muito fragilizada, me doei totalmente ao ser mãe e esqueci o lado mulher. Só queria lamber a cria!

Confesso que a ajuda nas tarefas de casa está sendo fundamental, pois tenho muita dor e não consigo fazer muita coisa. Amo casa limpa e organizada, sem isso e não podendo fazer, ficaria tensa e estressada.

Sei que logo todo esse cenário irá mudar. O retornará ao trabalho e a diarista virá uma ou duas vezes na semana (agora vem 3), mas acredito muito em Deus e sei que Ele me capacitará para exercer o papel de mãe de dois, juntamente com o de esposa, dona de casa, mulher…

Na próxima postagem, farei um relato do parto. Hoje Júlia está com gases… Comecei esse post às 09:00 e só consegui terminar agora, às 16:30. Escrevia, dava mamá, colo, dengo, etc… #vidademãe

Estou aqui no blog às quartas, quinzenalmente… mas vocês podem acompanhar minha rotina e dicas pelo Instagram @maesdepoisdos30 ou pela Fanpage Mães Depois dos 30!

.

Com amor, Fabi!MATERNIDADE - FILHOS - FABIANA FURLAN - @MAESDEPOISDOS30 - BLOG MADAME AMÉLIA